Como está o mercado de banda larga no Brasil para provedores?

Como está o mercado de banda larga no Brasil para provedores?

O serviço de internet é fundamental para o desenvolvimento da economia brasileira. Em relação ao oferecimento do serviço por empresas provedoras, o mercado de banda larga tem apresentado ótimos resultados e segue um crescimento em ritmo acelerado.

Mercado de banda larga: destaque da América Latina é o Brasil

De acordo com um estudo realizado pela empresa Business Bureau, o Brasil é o país com maior crescimento em termos de internet banda larga na América do Sul. Ainda conforme a pesquisa Fixed Broadband Services, a taxa de crescimento brasileira foi de 2,49%, deixando para trás países como a Colômbia, México, Equador e Peru.

Na segunda etapa do ano de 2018, o Brasil apresentou um número expressivo de novas residências com acesso à internet banda larga. Foram feitos 27,3 milhões de novos contratos. Cabe destacar que a quantidade mais elevada de lares brasileiros com acesso à internet ajuda a aumentar o número de usuários do serviço banda larga na América Latina. Atualmente, cerca de 42% das residências contam com esse serviço.

Qual foi o comportamento do mercado de banda larga neste último ano?

De acordo com uma pesquisa apresentada pela Agência Nacional de Telecomunicações, no mês de agosto de 2018, tendo como base os números apresentados em julho, houve um aumento de 2,53 milhões de assinaturas se comparado com o mesmo mês em 2017. Esse crescimento equivale a 9,03%. Outro dado importante diz respeito ao comportamento do consumidor no mercado de banda largaentre os meses de junho e julho de 2018. Se comparado com o mês anterior, o serviço conquistou um crescimento de 0,39%, isto é, foram feitas 118 mil assinaturas de planos entre esses meses. Os resultados significativos e bastante favoráveis ao mercado de banda larga foram conquistados graças à participação regional.

Os provedores regionais garantem a sobrevivência do mercado de banda larga no país

De acordo com a pesquisa realizada pela Anatel, as empresas provedoras de internet banda larga em nível regional obtiveram destaque no cenário nacional no mês de julho de 2018. A sua participação corresponde a expressivos 18,46% do número total de contratos ativos. Assim, é perceptível o crescimento na quantidade de provedores regionais no ano de 2018.

No que tange à participação por Estado, em julho de 2018, São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais foram os estados com maior número de contratos de banda larga ativa. Em termos de quantidade de contratos, São Paulo lidera com 10,36 milhões, seguido de Rio de Janeiro com 3,29 milhões e, em terceiro lugar, encontra-se Minas Gerais com 3,14 milhões de contratos ativos.

Grupos na participação de mercado

Tudo indica que a participação continuará aumentando, inclusive, é possível registrar que os contratos ativos registrados pelas ISPs estão ultrapassando o número de contratos em vigor da Oi.

Embora a Oi e as ISPs sejam fundamentais para o mercado de banda larga, há outros dois fiéis participantes, a Claro e a Vivo. Desta forma, percebe-se a formação de quatro grupos com os seguintes comportamentos:

  • ISPs: participação de 18,46% no mercado;
  • Oi: participação de 20,24% no mercado;
  • Vivo: participação de 25,28% no mercado;
  • Claro: participação de 30,09% no mercado.

De acordo com a Anatel, esse comportamento registrado durante a pesquisa tende a continuar assim até final do ano. A projeção da agência, assim como da Associação Brasileira de Provedores de Internet e Telecomunicações, é que os provedores regionais cheguem ao terceiro lugar de participação no mercado. Como consequência, os ISPs devem conquistar a terceira fatia do mercado de banda larga.

O que os números representam para o mercado regional

Todos esses números despertam a atenção do mercado regional para buscar diferenciação no meio da concorrência. Há ainda espaço para a expansão de redes, como também há um movimento para realizar um planejamento mais elaborado desse crescimento.

A escolha e o conhecimento da base de clientes é uma das formas de monetizar o negócio. Além disso, para continuar em constante expansão, os provedores regionais devem incorporar algumas tendências do mercado de telecomunicação, tais como:

  • Internet das coisas (IoT) e Inteligência artificial – é possível automatizar processos e reduzir custos operacionais;
  • Experiência do cliente – vender apenas um serviço já não é mais suficiente. Hoje em dia, é necessário acompanhar toda a jornada do consumidor (pré-venda até pós-venda) e fornecer a melhor experiência ao usuário;
  • Atendimento omnichannel – torna o atendimento mais rápido e a comunicação melhor com o cliente, por meio de canais de relacionamento online, redes sociais integradas, entre outros;
  • Expansão da rede de fibra óptica – permite abertura para instalar área de IoT, conexão mais rápida e estável, baixo custo e maior proteção dos dados.

O mercado de tecnologia também está sendo beneficiado

A elevação no número de contratos propiciou que as empresas de tecnologia também despontassem no mercado. Ao haver mais demanda por internet banda larga, as empresas que oferecem dispositivos tecnológicos são beneficiadas, uma vez que o consumo dos seus produtos também aumenta.

Um dos setores que tem sido bastante beneficiado com esse crescimento é o de conexões e equipamentos para jogos virtuais. Assim, a melhora expressiva nos resultados do segmento de internet banda larga, contribui para a otimização dos resultados nesse setor. O oferecimento do serviço de internet banda larga é animador e a tendência é que as perspectivas sejam cada vez melhores. Procure saber mais informações sobre o mercado de banda larga além de conferir esta matéria completa e outros assuntos interessantes acessando o blog da Intelbras.

Deixe uma resposta

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>